quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Medo da Solidão...


A solidão é consequência e causa de uma série de situações. Os que estão sós se perguntam: O que há de errado comigo? Por que estão todos com seus namorados, menos eu? Por que não consigo uma relação estável? Os que se aproximam não fazem questão de ficar... (no sentido de dar prosseguimento à relação) e outros só "ficam" e uma vez. Na verdade, diante das queixas, verifica-se que alguma coisa não vai realmente bem com a pessoa, sendo que a menos pensável e muito comum é seu desejo inconsciente de permanecer justamente na situação em que se encontra.

O temor de terminar sem ninguém pode levar a uma espécie de rendição, expressa da seguinte forma: O que devo fazer para não ficar só? A pessoa se dispõe, então, a deixar de ser o "que é", ou "como é", para realizar o grande desejo de estar acompanhada, como se dissesse: "Estou disposta a existir para o outro, a submeter-me a seu desejo". Essa situação se sobrepõe a todas as conquistas realizadas pelas mulheres no século XX. Observa-se que o medo de enfrentar a vida sem compartilhá-la com alguém desvela a sensação de ser alguma "coisa" que sobrou, que ninguém quis, ou que foi deixada de lado por não ter os bons atributos que aqueles que estão acompanhados supostamente possuem.

Na verdade, os que se dispõem a abrirem mão de sua identidade e independência são justamente os que possuem uma identidade precária, que apresentam problemas com a auto-estima e permanecem ligados a valores e crenças que lhes foram inculcados na infância. Não conseguem reformulá-los através de seu pensamento crítico, o que os mantém presos a um referencial anacrônico, posto que tendo sido útil no passado, para nada serve no presente.

O que fascina e ameaça um ser humano é aquilo que o outro tem de diferente, sua possibilidade de sustentar as próprias idéias e atos através de uma fundamentação coerente e firme. Quem atrai e possui magnetismo são, em geral, os que confiam em si e no que fazem, e que conquistaram algo em sua vida que ninguém é capaz de lhes tirar. Por isso mesmo passam entusiasmo e confiança.

No entanto,as pessoas que possuem esse tipo de personalidade não têm necessariamente predicados positivos. Crápulas podem ter um grande magnetismo! E observa-se que homens e mulheres extremamente sedutores costumam despertar mais paixões do que os considerados "certinhos"...Os menos jovens devem lembrar-se da "mulher fatal" que arruinava a vida do homem que se deixava enredar em sua teia de sedução.

Há todavia pessoas emocionalmente estáveis, que poderiam ser ditas mais equilibradas que preferem seguir viagem do que parar para escutar o irresistível canto das sereias: Ulysses que o diga pois, com sua sabedoria, pediu para ser amarrado ao passar por essas belas e traiçoeiras criaturas ...

Olhem ao redor e tentem fazer o levantamento das características das pessoas que são queridas e procuradas. São aquelas cujos predicados são predominantemente positivos: Em geral são prestativas, têm palavras de ânimo, são capazes de ter empatia - colocar-se no lugar dos outros para ter idéia de como se sentem diante das situações - e possuem uma qualidade invejável: sabem ouvir.

Essas pessoas não estão livres de ficarem sós. A diferença é que não se deixam abater por isso nem se dispõem a abandonar suas convicções para serem aceitas pelos que as "rejeitam". No amor, sofrem como todos sofrem, mas usam seus recursos pessoais para minorar seu sofrimento. Sabem reverter situações indesejáveis mas quando não o conseguem, lançam mão de sua capacidade de resignação: "recarregam as baterias" e ficam à espreita das novas oportunidades.

Se a solidão pode provocar insegurança, dúvidas, sentimentos de menos valia, inveja, desespero, pode ter como causa o medo da convivência, o temor de amar e de ser traído, a dificuldade de dividir, de compartilhar e de confiar, a ponto de vivenciar o delicioso sentimento de cumplicidade. Também o contato com dificuldades sexuais e mesmo com a identificação sexual podem ser evitados através dos obstáculos cultivados para não sair da solidão.

Se você está sozinho nesse final de ano, aproveite para festejar sua liberdade, pois tudo pode acontecer se dispuser-se a viver cada dia com o que oferece de novo. Tire partido das mudanças que se deram, onde as festas de Natal podem ser dançantes e o ruído das lembranças tristes do passado, abafado pela voz do amigo querido.

Em todo caso, que Baucis e Philemon abençoe a todos que procuram o seu par. Na mitologia grega, os dois foram recompensados por terem dado guarita a Zeus e Hermes que, disfarçados de viajantes, a eles pediram abrigo depois de terem sido expulsos de seu território por vizinhos poderosos. Quando estavam velhinhos, os deuses realizaram o pedido do casal: permitiram que morressem ao mesmo tempo e se transformassem em árvores, ficando para sempre unidos, um ao lado do outro, cada um ocupando seu espaço.

Thaïs Sá Pereira e Oliveira
Psicóloga e Psicanalista

Um comentário:

Suelen disse...

"O que há de errado comigo? Por que estão todos com seus namorados, menos eu? Por que não consigo uma relação estável? Os que se aproximam não fazem questão de ficar... (no sentido de dar prosseguimento à relação) e outros só "ficam" e uma vez." Muito lindo essa parte =)