quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Adolescente ontem e hoje

Um dia você abre os olhos e tudo lhe parece diferente, nada mais lhe agrada tanto quanto ultimamente, você passa a ter dúvidas constantes e os “porque sim!”, não lhe satisfazem mais, então argumenta e contesta quase que inconscientemente, e tudo isso porque você agora é um Adolescente. Quer tudo e não quer nada, quer atenção, mais dispensa conselhos dizendo ser conversa fiada, nota mudanças em si, pêlos nos lugares mais inconvenientes, as meninas sentem vergonha, enquanto os meninos ficam contentes, pois esperavam por isso há anos, queriam ter barba como seus pais e finalmente conseguiram. Para as meninas a coisa é mais complicada, aparecem os seios, em umas maiores, em outras menores, quadris largos e as gordurinhas começam a incomodar cada vez mais, e como se ainda não bastasse, vem a menstruação.

O Adolescente se sente deslocado, dizem-lhe que não é mais criança, que precisa crescer, assumir certas responsabilidades, mas também não é adulto, e ainda enfrente certas restrições. Começa a entender melhor o que são horários, não mais como hora de ir pra escola, de almoçar, lanchar, jantar ou dormir, agora precisa saber que à hora de voltar da festa são onze horas e não meia noite, se chegar depois ficará de castigo. As cobranças da infância se modificam um pouco, mais ainda existem, não mais sobre o ter, agora são quanto a poder – Porque fulano pode e eu não posso? – Porque sicrano vai e eu não posso ir? – Entretanto as birras continuam as mesmas, com chantagens emocionais muito mais elaboradas.

Todavia estes são apenas alguns pontos da Adolescência bem comuns, que fazem e/ou fizeram parte da vida de todo adolescente, mas que hoje estão um pouco mais precoces e elaborados, muito por conta do avanço tecnológico, a facilidade de informação e programas de conscientização. Alias, parece que todo esse “avanço” teve conseqüências um tanto quanto contraditórias no viver do adolescente, que diante de tanta informação ainda acaba cometendo os mesmos erros de outrora, haja vista, que o envolvimento com drogas e a gestação precoce só aumentam, mesmo com tantas campanhas de prevenção e conscientização. Mais não é só na área da saúde que essa “evolução” deixou marcas, vejamos a educação, grande parte dos adolescentes não conhece sua própria língua, cometem erros graves de concordância e de grafia, utilizando-se do chamado Internetês, ou seja, um vocabulário criado para agilizar a comunicação nas redes sociais via internet, que tomaram conta do dia-a-dia desta nova geração de adolescentes, que cresceram na frente da tela do computador, e talvez pela falta de espaço ou pela violência de hoje em dia não tiveram a possibilidade de brincar nas ruas do bairro com seus amigos, a não ser os que cresceram em cidades do interior, mas que por influência da mídia também acabaram voltando-se para os jogos de vídeo game e computador, que são muito menos cansativos.

Assim é a adolescência de hoje, com as mesmas dúvidas, revoltas e contestações de sempre, unidas aos avanços tecnológicos e campanhas de conscientização, que se não tem o resultado esperado, nos permite uma maior interação com os problemas vividos pelos adolescentes, e mais que isso nos permite saber que estes problemas não são exclusivos de nosso País, prova disso é o número de cientistas interessados em estudar esta fase do desenvolvimento de todo ser humano, buscando entender o que se passa na cabeça destes jovens, e assim poder ajudá-los e também a sociedade na compreensão, deste sujeito envolto em uma enxurrada de hormônios, compreendendo-o como um todo, nos âmbitos Biológicos, Psicológicos e Social.

By: Rivaldo Yagi

Um comentário:

Luísa N. disse...

Sim, Rivaldo, assim são os adolescentes de hoje, com seus games e internet, caminhando não sabemos para onde...