quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Seja visto para ser notado


Muitas vezes agimos de forma automatizada, fazemos basicamente as mesmas coisas e nem nos damos conta das sutis mudanças que ocorrem em nosso dia a dia, isso é o que costumeiramente chamamos de rotina, porém como mencionado anteriormente, existem algumas peculiaridades que nos passam despercebidas diariamente, algumas delas poderiam fazer toda a diferença, contudo estamos distraídos demais para perceber. Estes “detalhes”, estas pequenas variáveis em nossa rotina, muitas vezes nos causam alguns problemas, como por exemplo, esquecer datas importantes ou até mesmo não notar a mudança visual e/ou física em uma pessoa.
Quando falamos em pessoas, esta automatização gerada pela rotina se torna um pouco mais grave, pois se pararmos para pensar veremos que conhecemos pouco ou talvez nada sobre as pessoas com as quais nos relacionamos diariamente. Cumprimentamos diariamente diversas pessoas sem ao menos sabermos seus nomes, o fazemos apenas por cordialidade, mas se por acaso aquela pessoa não aparecer em um determinado dia nem notaremos sua ausência, a não ser que a mesma tenha uma função “estratégica” em sua rotina, como o porteiro da empresa, a faxineira ou o Garoto da correspondência. Existe um dito popular mais ou menos assim, “Só é notado quem é visto”, entretanto, analisando bem a frase e o seu significado, e comparando com o que vivemos nos dias atuais, creio que o dito popular deveria sofre uma alteração na ordenação dos fatos, e ficaria formulado desta forma: “Só é visto quem é notado”, o porquê disso? Vejamos, atualmente nós só voltamos nossa atenção, que consideramos preciosa, para o que nos interessa, para o que nos causa espanto ou algum incidente, ou seja, vemos, e somente depois pesaremos a importância deste fato em nossa vida, e se o mesmo merece maior atenção, ou seja, notamos, e isso pode acontecer de diversas formas, mas a mais recorrente diz respeito a nossa saúde, haja vista que só procuramos um médico quando não suportamos mais a dor. Outra prova disto encontramos neste link, onde um homem passou cinco dias morto em seu local de trabalho e ninguém notou, e tudo por que o homem em questão era pouco comunicativo e muito dedicado ao trabalho.
Após ter lido a notícia você perceberá que na sua empresa existem pessoas pseudo invisíveis como este homem, que por não ser “visto”, não foi notado, e passou praticamente uma semana morto no trabalho e ninguém notou, algo que talvez aconteça com você mesmo, que apesar de ser um funcionário padrão, não aparece para os outros, e não falo do patrão, pois este na maioria das vezes nem sabe quem são seus funcionários, mesmo porque não procura saber, para este tipo de patrão você é só uma engrenagem da máquina, ele só precisa saber a sua função, seu nome é irrelevante. É óbvio que existem exceções, mas ainda são bem poucas, a maioria ainda trata as pessoas como objetos, e muitos aceitam essa condição, o que reforça a postura do mesmo.
Portanto faça-se notar entre os seus, ou seja, pelos colegas de trabalho, ajude-os sempre que puder, peça ajuda sempre que precisar, trate-os com respeito, tente notá-los, saber um pouco mais sobre a vida deles, desta forma nunca acabarás como o homem mencionado acima, pois alguém sempre sentirá a sua falta. E lembre-se, a corrente nunca quebra no elo mais fraco, mas sim no que está sobrecarregado.

By: Rivaldo Yagi

Um comentário:

ELISEU S. SANTOS disse...

OLÁ! RIVALDO. VOCÊ TEM TODA A RAZÃO. MAS PORQUE VIVEU NA PELE AS DIFICULDADES DA VIDA. SÓ QUEM VIVE SABE OQUE É ISSO.
EU TAMBÉM JÁ ANDEI MUITO NESSA VIDA. PRESENCIEI COISAS ABSURDAS EM RELAÇÃO AO TEU ASSUNTO. PESSOAS QUE NÃO SE ENXERGAM A SI PRÓPRIO, COM ESPIRITO DE GRANDEZA.
PESSOAS COMO VOCÊ E EU NUNCA VÃO DESPREZAR NINGUÉM! VALEU AMIGÃO! ABRAÇOS!!!!!!!!